quinta-feira, 31 de julho de 2008

Alergia aos anestésicos

Anestesia consiste no uso de medicamentos com objetivo de bloquear a dor durante um procedimento, sendo amplamente utilizada, desde pequenos curativos, exames diagnósticos, extrações dentárias, partos, até grandes cirurgias.

Existem diversos tipos de anestesia:
Local: usada em procedimentos menores e aplicada diretamente no local que será tratado.
Geral: usado para cirurgias e procedimentos maiores, onde o paciente é mantido inconsciente, ou seja, todo seu corpo fica anestesiado.
Peridural ou raquianestesia: neste caso é feito um bloqueio da dor do abdome até os membros inferiores.

A alergia aos anestésicos não é tão freqüente como parece. Estatísticas apontam para um caso de complicação específica da anestesia para cada 10 mil cirurgias (não incluindo urgências e emergências). No entanto, é comum que uma pessoa sinta receio e temor ao saber que necessita usar algum tipo de anestesia. È importante ressaltar que diariamente milhares de anestesias são aplicadas com total segurança. Entretanto, infelizmente, os dados que chegam às páginas dos jornais e à mídia se resumem aos insucessos, induzindo a falsa idéia de que estes são predominantes.

O médico anestesista não apenas administra os medicamentos, mas acompanha as funções vitais e a evolução de cada paciente durante o ato anestésico, o que torna o procedimento seguro. A visita pré anestésica permite que o profissional avalie cada pessoa e tenha conhecimento de suas características individuais. È importante referir ao anestesista se é portador algum tipo de alergia ou de outras doenças e se utiliza algum medicamento que pode interferir com a anestesia. Pessoas que já tiveram reações anteriores ou que tiverem dúvidas quanto à possibilidade de uma reação ao anestésico, devem comunicar estes fatos ao anestesista para que ele possa fazer a escolha adequada.

Ressalta-se que analgésicos são diferentes e tem atuação independente no organismo. Por isso, não significa que as pessoas portadoras de reações com analgésicos e antinflamatórios terão mais chance de ter reação também com anestésicos. Mesmo assim, estas reações devem ser relatadas ao médico a fim de que se evite o uso no pós-operatório.


Reação aos anestésicos gerais

Os principais anestésicos gerais são:
- Parenterais: tiopental, tiamilal, etomidato, propofol, cetamina
- Inalatórios: podendo ser gasosos (óxido nitroso ou protóxido de nitrogênio ou protóxido de azoto) ou ainda sob forma de líquidos voláteis (hidrocarbonetos halogenados: halotano, enflurano, isoflurano, sevoflurano).

A anestesia geral é um método seguro mas pode se acompanhar de reações alérgicas, em geral de pequena monta. Eventualmente pode surgir uma reação anafilática. Numa anestesia geral, o paciente está sob o efeito não apenas do anestésico propriamente dito, mas também de outros medicamentos que auxiliam na sedação e no efeito da anestesia. Citam-se como exemplos: anti-sépticos, analgésicos, expansores plasmáticos, sangue e derivados, etc.

Reações alérgicas e pseudo alérgicas podem ocorrer. Nem sempre é fácil determinar a causa porque são administradas muitas drogas de maneira simultânea. Observa-se que os medicamentos pré-anestésicos e os relaxantes musculares são causas freqüentes de reações alérgicas na anestesia geral.

Reações alérgicas aos anestésicos são menos comuns nas crianças (primeira década de vida) e após os 70 anos. Verifica-se maior incidência de reações aos relaxantes musculares em mulheres, provavelmente por reação cruzada a um radical encontrado tanto nos relaxantes como em alguns cosméticos.

Pessoas portadoras de alergia ao látex poderão ter reações adversas no momento da cirurgia, já que produtos contendo estas substâncias são muito comuns em ambientes hospitalares, em especial nas salas de cirurgia.

Em caso de ocorrência de reações alérgicas à anestesia, é importante que se procure um médico especialista em Alergia, para que possa analisar a história do paciente de forma minuciosa e indicar a conduta mais adequada para cada caso.

Reação aos anestésicos locais

Os principais anestésicos locais pertencem a dois grupos de substâncias:
1. Grupo Amida: é o grupo mais utilizado: lidocaina (xilocaína), bupivacaína, levobupivacaína, prilocaína, ropivacaína.
2. Grupo Éster: tetracaína, benzocaína, procaína (novocaína).

As reações aos anestésicos locais são mais freqüentes e podem ser de 3 tipos:

- Reações vaso-vagais: sudorese, mal estar, taquicardia, desmaios. Resultam de reação nero-vegetativa derivada do medo, ansiedade ou pânico.
- Reações tóxicas: resultam de uma injeção de quantidade excessiva do anestésico ou por introdução acidental nos vasos sanguíneos da região anestesiada. Estas constituem a maioria das reações descritas, não tendo mecanismo alérgico. Podem provocar desde reações discretas como outras de maior gravidade.
- Reações alérgicas: são mais raras (cerca de 1%), mas podem ser intensas e graves.
- Dermatite de Contato Alérgica: são formas mais freqüentes e benignas, resultantes da aplicação na pele dos anestésicos sob forma de cremes, pomadas e soluções. No paciente sensibilizado, um ou dois dias após a aplicação surge uma reação de eczema (vermelhidão, coceira, vesículas).

As reações alérgicas aos anestésicos locais podem ser prevenidas através da avaliação clínica e análise do episódio anterior, seguida da realização de teste cutâneo com o anestésico alternativo. Em geral utiliza-se a lidocaína como teste em função de sua utilização e baixa incidência de reações.

9 comentários:

Kika disse...

Boa noite!
Tenho reacções muito estranhas a anestesia local do dentista (sono, cansaço, dificuldade em falar e pensar, sensação de desmaio..)
Como posso saber se é alergia? Se possível responda-me para o meu mail: filipageraldes@hotmail.com
Obrigada

veronica disse...

MEU CASO É Q EU PASSO MAL TODA VEZ Q PRECISO TOMA UMA ANESTESIA NO DENTISTA.MAS SERA QUE É PQ EU TENHO MUITO MEDO DE DENTISTA?
TODA VEZ Q EU VOU EU ENTRO EM PANICO, TENHO CRISES DE CHORO. AI QND ELA TERMINA O PROCEDIMENTO EU PASSO MAL: FICO TONTA COM SENSAÇÃO DE DESMAIO ETC
O Q EU FASSO PRA ISSO MUDA?
PRA PARA DE TER MEDO DE DENTISTA?
MANDEM A RESPOSTA PARA MEU MAIL:
veronica_fsa@hotmail.com

Dr.Alisson Costa de Morais disse...

Boa Noite!!
Peço a todos que deixem o E-mail para que eu possa responder suas perguntas.
Abraço.
Dr.Alisson Costa de Morais

Évelyn disse...

Bom dia, pessoas que já apresentaram alergia a xilocaina, qual anestésico seria mais seguro em uma visita ao dentista?
Obrigada
email:edemari@uol.com.br

Suzete disse...

Oi,descobri que tenho alergia a xilocaína utilizada em consultorio dentário, qual a outra alternativa para minha dentista?desde já agradeço.
meu e-mail.suzimacedo@click21.com.br

Maguy disse...

Boa Noite,

3 horas após colocação de implanon iniciei uma erupção cutanea braços pernas e barriga que durou duas semanas e descamou no final. A Zona onde foi inserido o implanon ficou vermelha e fez um eczema. Pelo que o médico disse que tinha atingido um vaso. É isto um quadro tipico de alergia a qualquer componente do implanon ou uma reacção tóxica pelo atingimento do vaso?

Agradecia que respondesse para magdakarima@hotmail.com

Obrigado
Magda

Marilene disse...

Sou alergica anestesia, desmaio, vomito muito e tenho queda presão e ja foi entubada quando fis um cesárea por causa da anestesia, passo mal nos exames de endoscopia e até mesmo quado vou ao dentista no qual ñ tenho medo, tenho q fazer uma endoscopia e estou em depreão por que precisso estrair os meus dentes e ñ consigo especislista em anestesia nos postos de saúde do SUS aqui em Recife, PE. Se possíel responda-me para o meu email: marilenevcr@gmail.com

Obrigada,
Marilene Silva.

Reinaldo disse...

Prezado,
Aos 06 anos de idade tomei, pela segunda vez, um anestésico "CITANEST" em uma consulta dentária. em minha prieira aplicação nada aconteceu de anormal, mas pela segunda vez entrei em choque anafilático, tendo que chegar as preças ao Hospital. Em fim, a 01 ano visito postos de saúde, e tento um encaminhamento para um hospital de grande porte, para então a realização de tal teste. ontem fui emcaminhado para o Hospital das Clínicas em Belo Horizonte, hoje, ao chegar lá pela manhã, fui informado que o mesmo não tem setor de alegologista, me pediram então para comparecer à Faculdade de Ciências Médicas, cuja também não faz esse tipo de teste.
Sei que tal teste pode vir implicar em um novo choque, mas preciso ter certeza do que posso ou não ultilizar!
Caso saiba algo sobre.
Desde já agradeço a atenção!
Atenciosamente,
Reinaldo Roncarati
reinaldoroncarati@yahoo.com.br

Alice disse...

Há uns dois anos fiz tratamento dentário e precisei anestiar para tratar canal. Após uns 20min (já fora do consultório)de repente minha garganta ficou totalmente fechada e entrei em pânico+ou-(estava na rua)por um minuto +ou- andei sem saber onde pisava . De repente a garganta abriu e fiquei completamente mole e com taquicardia e minha lingua ficou tão inchada que não podia falar e nem engolir..nunca mais procurei um dentista e hoje preciso e eles querem que eu faça um teste ,mas as clinicas de alergia não fazem...onde posso realizar esse tipo de teste de anestesia. A Drªme deu tres tubinhos de anestesia para fazer o teste. Mas não encontro uma clinica que realize o teste. Me diga onde devo ir afinal. Obrigada. Alice Responda para o meu E-MAIL :allica74@hotmail.com